Higienização na Indústria de Alimentos e Bebidas

Uma higienização bem-feita no estabelecimento pode reduzir o risco de uma possível contaminação – que acarretaria em perdas -, produzir um alimento com a qualidade que é esperada pelo cliente, ampliar a vida útil do produto, eliminar a possibilidade de ocorrência de infecções ou intoxicações alimentares, entre outros.

As fábricas de alimentos e de bebidas são grandes plantas produtivas com alto nível de automação e processamento contínuo. Um descuido, um alimento em deterioração ou contaminado por microrganismos patogênicos pode ser catastrófico em termos financeiros, com prejuízos incalculáveis para a indústria e para a saúde pública.

O controle dos agentes contaminadores microbianos é resultado de um programa total, envolvendo uma ampla faixa de responsabilidade que se inicia na definição dos equipamentos, nas compras dos insumos alimentícios, passando pela formação da mão de obra e seguindo a produção, o que faz a garantia da qualidade. Mas, a limpeza e a sanitização das superfícies em contato com alimentos e do ambiente de processamento têm uma parte vital na prevenção da contaminação microbiana.

É importante entender claramente a relação entre o processo de limpeza e a sanitização, como cada um dos processos são conduzidos na rotina da indústria e como são influenciados pelo método de aplicação. No final de cada período do processo alimentício, a superfície do equipamento deve ser limpa e sanitizada. O intervalo será determinado por fatores variáveis, tais como: Mudança de produto processado; Descontrole do fator tempo e temperatura exigida para o processamento; Substituição da turma de trabalho, etc.

Em muitas fábricas os processos de limpeza e a sanitização das superfícies que entram em contato com os alimentos são realizados por um sistema CIP (Clean in Place), seguido de um programa múltiplo de enxágue, onde a limpeza e a sanitização são controladas automaticamente.

Além disso, é necessário limpar as superfícies externas dos equipamentos para remover a contaminação trazida pelo ar. Assegurar-se de que as paredes e tetos estão limpos. Todas essas superfícies são sanitizadas com o objetivo de diminuir a carga bacteriana do ambiente.

Para todo esse processo ter sucesso, é muito importante a qualidade dos produtos de higienização utilizados. A escolha de um fornecedor com know-how e produtos específicos para o segmento, é um critério que deve ser considerado. Mais do que um fornecedor, ele precisa atuar como um parceiro do negócio.

Essa parceria com a empresa fornecedora dos produtos de higienização é um dos pontos mais importantes do processo fabril, pois esse é um setor que está em constante evolução e exige treinamentos, consultorias, assistências e acompanhamentos técnicos. Juntos, indústria alimentícia e indústria de higiene, conseguem reduzir os desperdícios de produtos, previnem acidentes no manuseio dos mesmos e reduz as perdas de produção, além de conscientizar os colaboradores sobre a importância da higienização e responsabilidade no processo de segurança alimentar.

“A indústria não produz para limpar. Limpa para produzir”