O pré-dipping ideal para prevenir a mastite? Nós te ensinamos como fazer!

O pré-dipping é uma técnica de manejo fundamental no processo de ordenha. Ele deve garantir a higienização completa dos tetos antes destes serem ordenhados, diminuindo ao máximo o número de agentes patogênicose sujidade que possam estar presentes na pele.
Entre seus principais benefícios está a redução dos casos de mastitee da contaminação do leite. Além disso, ocorreto manejo do pré-dipping favorece uma ordenha mais rápida e com maior fluxo de leite.

QUER SABER TUDO SOBRE A MASTITE? ENTÃO CLIQUE AQUI E DESCUBRA.

Quer saber como? Então confira o nosso passo a passo para realizar o procedimento de forma correta e eficiente:

1º passo: O teste da caneca
Para começar, retire pelos menos os3 primeiros jatos de leite de cada teto em uma caneca telada ou de fundo preto. Observese há presença de grumos ou qualquer outra alteração no leite, pois são indicativos de mastite clínica, indicando que devemos descartar o leite dessa vaca (alta contaminação e CCS) e iniciar o protocolo de tratamento.

2º passo: Higienização dos tetos
Devemos evitar lavar os tetos pois aumentamos a chance de contaminação do canal do teto. Dê preferência por higienizar apenas com produtos adequados parapré-dipping.
O manejo tradicional éo uso de produtoslíquidos ou espuma com copo aplicador, de preferência sem retorno, aguardando 30 segundos para melhor eficácia. Mas também há opções de manejo com toalhas umedecidas, que aumentam a eficiência na retirada da sujidade e permitem melhor massagemdos tetos.

Independentemente do método, o importante é garantir eficiente desinfecção, remoção de toda a sujidade dos tetos,efeito hidratante para a pele e ter baixo consumo. E você pode encontrar tudo isso clicando aqui!

3º passo: A secagem dos tetos
Após ação do produto de pré-dipping, seque bem os tetos com uma toalha de tecido ou papel toalha. Para reduzir o risco de contaminação cruzada entre os tetos, utilize uma folha de papel toalha por teto. No caso de toalhas de tecido,cada ponta da toalhadeve secarum do teto. Dêsempre atenção especial à limpeza do bico do teto, pois é a região de maior risco.
Todos os passos anteriores tem grande potencial de estimular a secreção de ocitocina na corrente sanguínea, favorecendo maior extração de leite em menos tempo de ordenha. Além de melhorar a eficiência, menos tempo de ordenha também representa menor a chance de desenvolver hiperqueratose.

4º passo: Iniciando a ordenha
Coloque os conjuntos imediatamente após a secagem dos tetos, tomando o devido cuidado com a quebra do vácuo das teteiras, afim de evitar o fluxo reverso, e também para que as teteiras não encostem no chão. Fique atento ao trabalho dos coletores para garantir que não ocorra a sobre ordenha.
Lembramos que é muito importante que todo esse processo dure entre 60 e 90 segundos, período ondehá maior liberação e ação da ocitocina.

E ao final da ordenha? Quer saber como realizar o pós-dipping ideal? Então clique aqui e descubra! 

Você vai gostar de ler também:
Gado confinado: 5 dicas para os melhores resultados em sistemas de confinamento.
De olho na Normativa: o que muda para o produtor com as IN 76 e 77.
Bezerros: qual a melhor época para o nascimento? 

Que tal receber uma
consultoria gratuita para
o seu rebanho leiteiro?

Preencha o formulário ao lado que
teremos prazer em ajudá-lo!

simnão